27 outubro 2014

Brasília - Maior Corrupção Do Mundo?

Bom, as estatísticas não dizem isso. É apenas uma desconfiança particular. O que motiva esse pensamento, primeiramente, é a condição histórica do Brasil como país de exploração onde sempre existiu alguém dando um jeitinho de tirar ventagem de outro de maneira imoral e sem vergonha, causando desequilíbrio e principiando a desigualdade. Sobretudo, existe um princípio que diz: Onde encontrar maior desigualdade encontrará maior corrupção.
O Brasil é o 8º país mais desigual do mundo e o 4º da América latina, apontou a ONU em 2013. No grupo do G20 é o 2º mais desigual. Ocorre que, o Brasil, apesar de ser considerado tão desigual, aparece apenas em 72º no Ranking do IPC (Índice de Percepção da Corrupção) entre 177 países pesquisados em 2013. Porém, o IPC é um índice  bastante subjetivo, pois como não  é possível medir precisamente a quantidade de corrupção, analisam o grau em que os entrevistados a percebem.
DESIGUALDADE EM PARADOXO
A desigualdade no Brasil vai além da simples distribuição de renda desequilibrada. Aqui temos situações curiosas que passam a sensação de ainda estarmos sendo explorados. O imposto sobre consumo é maior que o imposto sobre a renda, diferentemente de países desenvolvidos. Arrecadamos muitos impostos, mas não vemos tanto retorno. Temos produtos e serviços entre os mais caros do mundo e ainda assim com pouca qualidade. Temos petróleo, mas a gasolina é caríssima. O Brasil é o único a ter quatro instâncias recursais no mundo, o que torna sua justiça uma das mais lentas, aumentando a impunidade principalmente de quem tem poder. Temos um conjunto de dificuldades um tanto intrigantes, o chamado Custo Brasil, conjunto de burocracias, ineficiências, falta de infraestrutura que formam um alto preço para desenvolver a produção nacional que acaba sendo pouco competitiva.
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,custo-brasil-e-nois,11
COMPARATIVO INTERNACIONAL
Uma análise superficial no IPC e no Rank das desigualdades sociais no mundo, nos levaria a entender que, países como a Somália ou Afeganistão são mais desiguais e corruptos que o Brasil. Isso me parece injusto. Estes países não têm tanto a oferecer às suas populações, são pobres, sem suporte para cidadania, têm a questão da gerra. Enquanto o Brasil é pacífico, democrático, livre e tem boa economia. Somente a quantidade de dinheiro estimada desviado pela corrupção no Brasil equivalem a vários PIBs da Somália.

A China, semelhantemente ao Brasil, tem economia crescente, porém um maior indicie de corrupção e um grande índice de desigualdade. No entanto, quando um político corrupto é pego, em pouco tempo é processado, julgado e começa a cumprir pena, que ocasionalmente é a pena de morte, o que transmite uma sensação de justiça.  
BRASÍLIA-DF
Bem-vindo à Brasília! Você sabe com quem está falando?
Calma, ainda não colocaram esta placa na entrada da cidade. Lugar onde moram pessoas honestas e trabalhadoras, porém, onde se concentra poderes e poderosos não tão bacanas. Lugar onde há mais milionários do que se imagina por metro quadrado, a expressão citada acima é bem comum.  Se trata do mais alto grau de falta de humildade e humanidade possível. Por tanto, Brasília tem o terreno mais fértil e propício ao surgimento do fungo da corrupção.

ESSÊNCIA DA CORRUPÇÃO
A corrupção é o desiquilíbrio, a deterioração, adulteração, degradação, decomposição.   Como um conjunto de pessoas que se compõe deteriorando outras. Como um fungo que cresce decompondo algo. É da essência da corrupção o poderoso querer ficar mais poderoso tirando vantagens por meio de subornos e influências.
DINHEIRO NA MÃO DE QUEM?

Brasília, maior PIB per capta e um dos maiores fossos da desigualdade. Compare a renda per capita do Logo Sul e da Estrutural ou Arapuã. Brasília,  décima cidade com mais milionários entre os países do Brics, há quem diga que a quantidade de milionários de Brasília é ainda  subestimada. Se considerarmos apenas o lago Sul, bairro nobre, cheio de invasões chiques, diga -se de passagem, onde moram políticos, grandes empresários e funcionário públicos de
alto escalão, teremos o maior IDH do mundo, batendo a Dinamarca, primeira do mundo. Dizem que em Brasília circula tanto dinheiro em espécia que, se os assaltantes soubessem se especializariam em roubo de maletas, sacolas e cuecas.

AMIGO É PRA ESSAS COISAS
Em Brasília são milhares de servidores públicos. Um número imenso de comissionados que supera a quantidade de comissionados de países inteiros. Imagine agora uma vizinhança de servidores públicos, amigos, parentes. Um trabalha no órgão de trânsito, outro na Saúde, outro trabalha com o governador... Se um amigo, vizinho ou parente precisa ser atendido num hospital trata logo de pedir para o amigo ou parente que trabalha lá dentro pra que o atenda logo, passando na frente de um monte de gente que aguardava a vez. Até por que esse "favor" pode ser retribuído se, o amigo que foi passado na frente seja do órgão de trânsito e possa retirar uma eventual multa que o outro amigo venha sofrer e por aí vai. Imagine então essa situação de troca de "favores" multiplicado por todos os tipos de servidores, comissionados, amigos, parentes ou vizinhos existentes em brasília!

"Quanto maior o poder, maior o abuso" - Edmund Burke
Para os ouvidos:
Brasília, por Sérgio Sampaio

fonte: Internet