03 abril 2015

Breve Ensáio Sobre A Preguiça


A Preguiça prejudica o preguiçoso e todos ao redor.  Podemos entender como preguiça, um dos sete pecados capitais e tão maléfico quanto os outros, quando agimos com má vontade, especialmente em relação às coisas que interessam aos outros e nem tanto a nós, o que também pode ser visto como egoísmo

Preguiça também é o pessimismo com o qual analisamos as coisas. Principalmente as iniciativas, tentativas de inovações e ideias dos outros, as quais não damos a devida atenção. A descrença em algo positivo e realizável ou mesmo a falta do esforço imaginário também podem ser vistos como indícios de preguiça. Sobretudo, a preguiça é o fato de não nos colocarmos em ação, mesmo em perfeitas condições de agir, é a negligência ou covardia.

No entanto, difundiu-se, injustamente, que a preguiça seja o cansaço,  ocorrência muito mais ligada, na verdade, ao esgotamento físico, ao excesso de trabalho, a estafas mentais ou até mesmo processos digestivos, sono e a anemia. Porém, a verdadeira preguiça pode influir no cansaço quando, ao nos impedir de fazer exercícios físicos regulares para a manutenção da saúde e condicionamento físico, acaba gerando mais dificuldades para o corpo e a mente, resultando em um cansaço físico mais rápido. 

A auto-piedade, desesperança, mentalidade de vítima, a falta de auto-estima e outros problemas psicológicos que impedem o desenvolvimento pessoal de um indivíduo, também podem ser confundidos com preguiça. Até mesmo a espera de uma intervenção Divina pode ser confundido com preguiça. Assuntos muito sérios e que merecem cuidado.